A pressa é inimiga dos sentimentos. Amor acontece...


Tem dias que vivemos sem estarmos conectados com as realidades que vivemos. Colocamos as emoções no stand by, cozinhamos os sentimentos em banho-maria e ainda jogamos balde de água fria em quem nos quer bem. Comecei a perceber isso quando alguém especial me disse: você é estranha quando ferem suas emoções. Tive que concordar sem qualquer resposta, porque a humildade é bem-vinda quando é preciso vestir a verdade, mesmo que doa. Ainda estou em fase de aprendizagem no que se refere relacionamento - já escrevi isso antes.

Eu gelo quando alguém me fere com desonestidade e a maré está para mentiras. Eu não me dou muito bem quando não consigo ser eu mesma. Tenho uma maneira estranha de cozinhar sentimentos quando não vejo possibilidades de melhoria. Eu sei que amor pode ser mão única, unilateral e incondicional. Amor não precisa de retribuição, porque não tem moeda que pague. Eu sei, mas não convivo bem com quem não se mostra ou se expõe. Não me dou bem com quem esconde afetos e camufla verdades.

Não sei o que é pior, não ser amado ou sentir amor por alguém e não demonstrar. É muito ruim quando os sentimentos dentro da gente gritam: quero ele. E ele não quer ninguém. A maior decepção é quando alguém nos esfria, e é delicado quando precisamos jogar um balde de água fria. Nenhuma distância faz bem, porque tira de nós as esperanças e rompem nossos acreditares.

Consciente ou não, colocamos nossa vida e a do outro em stand by, quando não temos a capacidade de retribuir, quando esperamos demais e nada acontece, quando apostamos e recebemos em troca as desilusões. Ficamos exauridos de esperanças quando os nossos sentimentos são manipulados e alguém se atreve a brincar com a sinceridade que há em nossa alma. Chegamos ao extremo de não acreditarmos mais no amor, quando somos postos à prova de bem querer do outro. Ficamos decepcionados, criamos escapes de distâncias, mantemos as emoções mornas, porque é menos dolorido do que machucar mais uma vez o nosso coração.

Só aprendemos a sermos melhores, quando um alguém verdadeiro, com sentimento real, decide nos mostrar e nos provar, que o amor existe e está na simplicidade de querer profundamente o outro, de aceitar as diferenças e ser leal. Muitas pessoas vivem um longo caminho, vivem experiências difíceis até encontrar alguém de fato, enquanto outras tem a felicidade de nunca experimentarem indiferenças extremas para serem amadas com devoção.

Como seria bom que as emoções fossem apenas boas, sem qualquer mácula, sem qualquer dor, mas não são, e por não serem apenas para dar prazer, vamos aprendendo também com o que tem de ruim. Aprendemos muito com os exemplos, com os gestos e somos fruto do meio que convivemos também. Os sentimentos são mais do que viver, são estímulos para prosseguirmos todos os dias.

Nos desalinhos que vivemos com relação ao amor, vamos construindo pontes até encaixar em alguém que nos queira bem para uma vida toda, e se não acontecer, vamos vivendo amores. A pressa é inimiga dos sentimentos, porque o amor não tem ansiedade para chegar, e nem tempo marcado para se entregar a alguém. Pode ser tão mansinho que nem o silêncio da noite o perceberá. Amor acontece!

Não podemos nos desconectar dos sentimentos devido as decepções e as descrenças, porque tudo que é bom tem o momento certo. E, mesmo que esfriemos com as circunstâncias e as experiências, ainda há esperanças, quando deixamos de lado o medo para uma segunda chance. Que a raiva seja passageira quando ferirem nossas emoções, porque pagar com indiferença não alivia ninguém, apenas adoece a gente por dentro.

_ Simone Guerra

Autor do post Simone Guerra

0 comentários :

Postar um comentário